Salve o Agreste, Agrevida, Terceiro Batalhão em Itabaiana/SE - Por Rita Freire

Vou narrar uma história Por favor, preste atenção! Sobre um projeto incrível Que protege muitas vidas Através da orientação Previne o suicídio E na história da mulher Abomina a agressão Evitando o feminicídio Mostrando que não adianta Maltratar, fazer terror Porque Não será permitido Bater em uma mulher Nem que seja com uma flor.... Foi em meados de 2017 Quando tudo começou Um projeto grandioso Que a nós se apresentou Bravos guardiões armados Que este projeto criou Visando a proteção E também a prevenção De um povo trabalhador Do nosso lindo Nordeste Priorizando a vida De toda parte do agreste ... A luta desses guerreiros É sempre a favor do bem Trazendo informações Da atenção a quem não tem Para homens e mulheres Para crianças, adolescentes Para as almas, por ora doentes A agrevida faz um convite Para uma conversa amiga Dá ouvidos aos esquecidos Da voz ao povo sofrido Da proteção ao agredido E segurança, ao seu povo querido... O desafio aqui, É combater o agressor Proteger os oprimidos E também os esquecidos Chamados de filhos da dor Mostrando um mundo melhor Para quem, às margens ficou Dizer que ainda é possível Diminuir pedofilia, Cultivando informações Através de grandes ações Que regem sempre a seu favor... Prestem atenção nos sinais Os gritos vem disfarçados De ciúmes, exagerados A proibição, com sorrisos O abraço, na criança forçado O olhar de inibição O estranho em nossa casa Causando destruição Este mundo anda perverso Tortuoso e muito falso Muita criança sofrendo Com rodízios de padrasto... Cuidado, Meu bem! Cuidado! Há perigo, e não é só na esquina Há nos bancos das praças Nas escolas, nas ruas, nas calçadas Querendo roubar inocências No silêncio, te amordaçar! Há perigo, no olhar Há perigo no falar No abraçar e no beijar Fiquem todos atentos Às vezes está tá perigoso Na sua cada morar... E no agreste dessa vida A missão é desafiadora Não podemos negar Não foi sobre morrer Nunca foi sobre matar É sobre se prevenir Jamais sobre remediar É sobre poder denunciar É sobre o respeito à vida E mostrar que há punição Para quem ousar te ameaçar Ou tentar de alguma forma A sua vida ceifar E neste projeto invoca A grande missão de salvar... Mostrar que há outros caminhos Que a vida é bem valiosa Que o bem sempre irá vencer Dias e noite à fora Na construção dessa história Que não há espaço para as drogas Que a saudade mais dolorosas São entes que se foi Sem ter direito a despedidas Foram cegos, foram enganados Andaram de olhos vendados Na contramão dessa vida... No projeto agrevida Sempre haverá saída Justiceiros, para acalmar Não se cale, se ame! Grite, bote a boca no trombone Saiba a quem procurar A sua voz será ouvida Impedida de calar Não irão medir esforços Proteger, será o foco Para quem decide agir Para os que decidem lutar . É sobre vir pra somar Nunca sobre silenciar... Se precisar de ajuda Procurem os bravos soldados Da polícia Militar Mulheres e homens fardados Andando sempre ao seu lado Para te oferecer guarida E tua vida zelar Nesta terra do agreste Em nosso caloroso Nordeste Destemidos filhos da terra Honrosos cabra da peste Não medem nenhum esforços Para a sua vida proteger Senhoras, jovens e crianças Aprendam a se defender Estamos de prontidão Não deixe sua voz morrer O agrevida foi criado Por você, e para você!!! Autora: Rita Freire Uma singela homenagem aos colaboradores do Projeto "AGREVIDA", criado pelo Tenente Alexandre Soares, na cidade de Itabaiana, Sergipe. Apoio: Prefeitura de Macambira e Malhador SESI/SE, SEST / SENAT.


  • White Google+ Icon
  • Twitter Clean
  • facebook

2020 Domingos Pascoal

Aracaju, Sergipe