2019 Domingos Pascoal

Aracaju, Sergipe

  • White Google+ Icon
  • Twitter Clean
  • facebook

ÁGUA BRANCA HISTÓRIA E MEMÓRIA, Edvaldo Araújo Feitosa - Antônio Saracura

12/03/2019

ÁGUA BRANCA HISTÓRIA E MEMÓRIA, Edvaldo Araújo Feitosa, Edufal (Editora da Universidade Federal de Alagoas), 2014, 153 p. :Il, Isbn 9 788571 778412

 

 

 

 

Bom seria se cada município tivesse o seu biógrafo. Um pelo menos. Filho de sangue ou adotivo, que recolhesse a memória do povo e dos documentos e desse-lhes corpo em um livro que jamais se perderia.

 

Como fez e faz Edvaldo Feitosa em Água Branca das Alagoas.

 

Conheci Edvaldo no que se chamou Primeira Bienal do Livro de Paulo Afonso, na qual não houve leitores, apenas autores de livros. Iniciei o escambo como saída para manhãs e tardes de pura monotonia. Ele, como eu e cerca de quarenta escritores, trocamos livro por livro, divulgando nossa literatura com o que havia à mão. Plantamos nossas sementes em nosso próprio quintal. Depois, na Bienal de Alagoas, voltei a encontrar Edvaldo, lançando outro livro de História, não sei se sobre Água Branca ou sobre Delmiro Gouveia, que são lugares onde transita. É que Edvaldo era um destaque no stand de lançamentos da Universidade de Alagoas, cercado de ilustres, solicitado por fãs, e eu, apenas, o cumprimentei de longe, pelas gretas entre as pessoas. Por sorte, escutei, em um discurso pronunciado, acho que pelo reitor da Ufal, referências à obra ovacionada.

   

Sobre os meus livros, os que entreguei aos escritores por conta do escambo, até hoje, nenhuma ressonância houve que chegasse aos meus ouvidos.

 

 Quanto aos livros que recebi, li as poesias, os contos, as histórias de gente e de lugares. Os demais, 

levei-os à gelatecas (geladeiras usadas, transformadas em pontos de distribuição ou troca de livros) de ou à escolas públicas. Livro é como sangue, têm que circular ou talha, dá gangrena. Faço isso até com os livros que leio e não tenho onde guardar na minha minúscula biblioteca. Retenho apenas os que me amarraram de tal forma, que eu teria que ir também junto.  

 

 

Água Branca História e Memória fala da terra, uma zona amena do sertão do são franciscano. Fala das famílias que habitam o lugar, desde os remotos tempos, sua genealogia. Fala da política com seus mandatários; da igreja com seus vigários, do povo atual na sua luta do dia à dia para fazer ali um bom lugar de se viver.

 

(Aracaju, 17 de dez de 2014. Recuperada dos alfarrábios em marco de 2019)

 

Publicado em: http://antoniosaracurasobrelivroslidos.blogspot.com

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Lançamento da Antologia do III Encontro de Escritores Monte-alegrenses e Convidados

12/11/2019

1/10
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo